AAFCorsan selo35

Segunda, 21 de Junho de 2021

A Funcorsan informa que houve inconsistência em algumas informações de particpantes assistidos repassadas através da E-Financeira à Receita Federal, relativas às contribuições para o Plano de Benefícios dos anos calendário de 2019 e 2020.

Os problemas são decorrentes de falhas no sistema informatizado que a Fundação utiliza. A equipe da entidade está trabalhando incansavelmente junto com o fornecedor do sistema para enviar a retificadora da E-financeira referente dos anos de 2019/2020.  Este procedimento visa a corrigir os valores referentes aos participantes que estão em malha fina junto à Receita Federal em função das informações relativas ao ano de 2019 e 2020. 

Assim que finalizada a correção será remetido um novo comunicado. Portanto não há necessidade, neste momento, de realizar qualquer retificação, sendo importante o acesso às informações da RFB após os procedimentos da Funcorsan, para certificar-se de que o problema foi equacionado após os ajustes realizados pela Funcorsan na versão retificada do E-Financeira.

Quinta, 17 de Junho de 2021

O Fórum em Defesa da Água e do Saneamento, criado para reagir às tentativas de privatização da Corsan, implementadas pelo atual governo do Estado, contrapondo com informações legítimas dados incorretos divulgados à opinião pública, propõe uma reflexão sobre o atendimento prestado pela Companhia nas 317 cidades do Rio Grande do Sul. Em um extenso documento, o grupo questiona: será mesmo que evolução, na forma como vem sendo definido o lema da atual gestão da Companhia, é a palavra que reflete o trabalho dos funcionários da Corsan ao longo destes 55 anos? Clique aqui para ler o texto na íntegra. 

Segunda, 31 de Mai de 2021

O SENGE/RS, SINDIÁGUA e SINTEC apresentaram, nesta quinta-feira (28), ao Tribunal de Contas e ao Ministério Público de Contas, um pedido para que seja realizada a Prestação de Contas Especial a fim de avaliar a situação e providenciar medida cautelar para sustar as contratações diretas no âmbito da Corsan. Em um período de um ano, as contratações sem licitação alcançam a soma de R$ 43 milhões, valores nunca praticados pela empresa neste tipo de contratação. As justificativas e a forma de condução destes processos são contrárias à legislação e orientações dos Tribunais, segundo os Sindicatos. Há indícios de pressão para que os órgãos internos da Corsan colaborem com estas contratações.