AAFCorsan selo35

Sexta, 12 Julho 2019
Diretoria da AAFCorsan é recebida pelo diretor-presidente da CORSAN
Diretoria da AAFCorsan é recebida pelo diretor-presidente da CORSAN

Na última segunda-feira (8),  a diretoria da AAFCorsan, representada por seu presidente, Pedro Dall’Aqua, e seu vice-presidente, Humberto Pinheiro, foi recebida pelo diretor-presidente da CORSAN, Roberto Correa Barbuti, e pelo diretor financeiro e de relações com investidores Jorge Melo. Na oportunidade, os dirigentes da Associação entregaram ao diretor-presidente um brinde alusivo à comemoração dos 35 anos da entidade, desejando sucesso na  gestão da CORSAN. Na sequência, foi feita uma breve apresentação da AAFCorsan esclarecendo que, além dos objetivos sociais e de relacionamento entre seus participantes, a Associação promove um constante monitoramento dos resultados apresentados pelo Plano de Benefícios BD01 instituído pela CORSAN. Sobre o assunto foi entregue, ainda, um ofício ao diretor-presidente, no qual a AAFCorsan sugere uma série de medidas. Confira:

  1. a manutenção do atual plano de benefício,
  2. a imediata implementação da cobrança da recomposição das reservas matemáticas decorrentes de ações Judiciais ou revisões administrativas ,
  3. a imediata implementação da cobrança dos denominados casos omissos,
  4. as bases para que a CORSAN e a FUNCORSAN elaborem plano de ação visando obter um profundo diagnóstico na estrutura do Plano de Benefícios com o objetivo de identificar as causas que estão gerando, de forma recorrente, os crescentes e sucessivos déficts,
  5. a partir do resultado do diagnóstico, que seja apresentado ao conjunto dos participantes os cenários alternativos para o reestabelecimento do equilíbrio técnico do Plano de Benefícios.

 Como resposta, o diretor-presidente informou que esta também é uma preocupação da CORSAN e que já solicitou à Fundação os estudos visando a elaboração de diagnóstico que aponte as razões que estão levando o Plano de Benefícios a apresentar os recorrentes déficits técnicos, bem como os efeitos que ações externas, tais como a reforma da Previdência e a queda de juros poderão ter sobre os resultados futuros do Plano. Afirmou também que por se tratar de um tema amplo e complexo e que tem efeito sobre um número expressivo de famílias, a construção da solução para o problema em tela se dará de forma transparente, através de ampla discussão e com a participação de todas as partes envolvidas.